ajudinha informatica

blog com dicas e ajuda em informatica e conhecimentos em geral

Dicas de design para pequenas empresas iniciantes‏

Nenhuma empresa pode prescindir de design, mas a imensa maioria dos pequenos negócios brasileiros não conta com este recurso. Se este é o seu caso, confira dicas essenciais e básicas.

Se ainda não chegou a hora de contratar um designer para trabalhar pela sua empresa, preste atenção à algumas dicas básicas e essenciais do design.

Nenhuma empresa é visível sem um logotipo ou um cartão de visitas. Então, alguém teve que fazer isso. Se quem criou tudo foi você mesmo ou algum grande amigo que sabe usar perfeitamente o computador, verifique se os dez itens abaixo estão de acordo com o que tem sido feito para sua empresa. Senão, é hora de rever o que você está querendo dizer para o seu consumidor:

A marca

Verifique se a marca da sua empresa foi criada dentro dos padrões internacionais de bom senso. Ela precisa ser vista, aplicada e memorizada facilmente. Basicamente isso significa: desenhos muito rebuscados dificilmente cumprirão esta missão. Entenda por isso aquelas letras cheias de ornamentos utilizando as sete cores do arco-íris.

Menos informação é absorvida mais rápido. Isso vale para uma palavra ao invés de uma frase, um algarismo ao invés do número do seu CPF, e para a sua marca simplicada ao invés de um turbilhão de informações. As pessoas tem pressa, cada vez mais. E um desenho que não foi memorizado é tido como desconhecido. O consumidor vai provavelmente confiar no que já conhecido.

Outro detalhe importante. A sua marca pode ser reduzida para ser aplicada numa caneta e ainda assim ser compreendida como tal? E se eu estiver numa estrada, e olhar um outdoor lá longe, consigo ler sua marca? Em fundo texturizado, como faço para aplicar a marca da sua empresa? A boa marca pode ser aplicada na maior parte dos meios sem dificuldade, o que facilita muito a presença da sua empresa em qualquer lugar.

O cartão de visitas

Com uma boa marca fica fácil ter um bom cartão de visitas. Existem muitas maneiras de manter um padrão (tamanho) sem fazer exatamente o que todo mundo faz. Tudo vai depender do que você deseja quando o seu cliente estiver procurando um fornecedor entre 1549 cartões igualmente diagramados. O cartão de visitas é para dizer: olha, aqui estão os meus dados, a identidade da minha empresa e nosso diferencial.

Cores

Quando sua marca foi desenvolvida, algumas coisas foram eleitas para representar a identidade visual da empresa. Pois bem, existem vários meios onde suas cores estarão impressas. Papel, tecido, parede, site. É importante que essas aplicações apresentem o tom mais próximo um do outro, embora seja praticamente impossível que sejam idênticas devido aos diferentes materiais. Porém, é inadmissível que dois papéis do mesmo tipo apresentem tons totalmente diferente da mesma cor. Para isso, existem escalas como RGB, CMYK ou Pantone.

Se você não se preocupa se as cores são originais à do projeto, então tanto faz escrever o seu nome com umas letrinhas a menos, não é mesmo?

A organização da loja ou escritório

Tudo que tem contato com o seu cliente deve seguir a mesma filosofia. E isso tem mais a ver com coerência do que com design, mas estes dois termos estão intimamente relacionados. Se a sua empresa tem como princípio “qualidade máxima”, as gôndolas da sua loja naturalmente foram organizadas com qualidade extrema. A limpeza do local, idem. Eu não acreditaria que a sua empresa trata com qualidade a minha encomenda se o seu funcionário perde mais do que cinco minutos para encontrar o meu pedido em meio à bagunça do escritório.

A mala direta

Na ânsia de atingir todo mundo, o destino da sua mala direta abarrotada de informações será provavelmente o mesmo das outras: o bueiro mais próximo. E lá vai ficar para colaborar com a próxima enchente. Se o objetivo é comunicar uma promoção, que seja este o foco então.

Não queira aproveitar o papel para falar tudo de uma vez. O espaço vazio tem uma extraordinária finalidade pouco conhecida: ele isola uma informação da outra e ajuda os olhos do seu consumidor a percorrer um determinado caminho. Em outras palavras, ajuda a dizer alguma coisa com mais eficiência.

E, se além de comunicar você quiser colaborar com os bueiros e salvar muitas árvores, aproveite as facilidades e economias do e-mail-marketing. Com um bom cadastro autorizado pelos clientes e um design apropriado, as vantagens são muito superiores.

O site

Uma das grandes maravilhas da internet, o site corporativo é obrigatório para qualquer empresa. E por ser tão acessível é possível que você conheça muitas pessoas que sabem fazer um. Cuidado para não colocar na internet uma coleção de páginas sem sentido tornando a missão da sua empresa obscura.

Os sete pecados de um site

Não cuidar das imagens. Imperdoável que estejam em péssimas condições ou distorcidas;
Não saber usar animações com moderação;
Não ter um estudo prévio das informações. Antes de sair fazendo, pense em como facilitar a vida de quem entra no seu site;
Não pagar pelos direitos autorais das fotografias de terceiros;
Não colocar as formas de contato em local visível;
Não atualizar;
Não divulgar.



Por Caroline Fülep

10 de abril de 2009 Posted by | Blospot, como usar, dica, dicas, internet, Marketing, Marketing pessoal | Deixe um comentário

Dez passos para a criação de uma campanha online‏

Não existem verdades absolutas na hora que criar uma boa iniciativa em mídia interativa. Mas se você está no meio deste processo, estes itens podem ajudar.

Não acho que exista uma receita para criar uma ação de sucesso na internet. Particularmente, não acredito em fórmulas e a graça do nosso mercado está justamente na velocidade com que ele muda a cada dia.
Contudo, alguns pontos para discussão podem ser levantados, reunindo coisas que aprendemos ao longo da carreira e que podem ser úteis, de forma despretenciosa e sem encerrar o tema por aqui.

1. Faça mais do que uma campanha online

Divirta seu público. Encontre uma brecha no briefing para uma abordagem diferente. Tenha uma grande idéia, simples, fácil de entender e que dê vontade de espalhar. Depois pense na melhor forma de contá-la: hotsite, banners, vídeos virais, e-mail marketing, ações de guerrilha, instalações, print, tv mobile, etc… Não existem fronteiras entre as mídias na cabeça do consumidor. Por que deveria haver nas agências? Abra um diálogo com seu consumidor. Escute, aprenda com ele. Ele não é mais receptor, é parte da mensagem. Por que bombardeá-lo com fatos sobre seu produto? Conquiste, não estupre.

2. Arrisque

Idéias que ninguém tentou normalmente trazem uma percepção de alto risco. Mas o grande risco talvez seja, na verdade, o de fazer algo comum e não ser notado. Arrisque, sempre.
A propaganda é um mundo conservador, com regras e padrões estabelecidos. Sim, você pode se dar bem jogando pelas regras. Mas se você decidir fazer do seu jeito, ignorando fórmulas e convenções, talvez a indústria não te ajude. Quase sempre, você vai estar sozinho. Mas também vai estar perto de definir novos parâmetros para o mercado. A escolha é sua.

3. Busque enriquecer seu processo criativo

Pesquise o assunto em questão e seus temas relacionados ou não. Leia livros sobre curiosidades, estude outras culturas, observe as pessoas. Pergunte ao cliente coisas que ele não falaria espontaneamente. Tenha um caderno de anotações com idéias e interações não usadas. Lembra daquele filme de Coca-Cola, com o elefante nadando no fundo do mar? Antes de virar propaganda ele era só uma cena de um documentário. Enfim, encha a sua cabeça. E depois desencane. Vá ver um filme, namorar, jogar bola. Deixe seu cérebro trabalhar pra você e só pegue no lápis no outro dia.

4. Cave mais fundo

Não sou fã de metáforas, mas… pense na grande idéia como um tesouro enterrado numa ilha cheia de piratas. Sua cultura define o tamanho da sua pá. O briefing define onde começar a cavar. E seu critério do que vem a ser uma grande idéia define a hora em que você deve parar. Durante sua jornada, você vai encontrar diversos baús no seu caminho. Muitos deles resolveriam seu problema no curto prazo. Só um pode mudar sua vida. Continue cavando até encontrá-lo.

5. Fique de olho nos caminhos que deram certo

Em seguida, ignore completamente os caminhos que deram certo. Se alguém já fez, por que você vai fazer? Boas idéias são como portas que só se abrem uma vez. Se alguém já passou por uma porta, procure outra. Resista. Você vai ver como é boa a sensação de fechar uma porta bem fechada.

6. Crie para o consumidor, não para o cliente

É relativamente fácil agradar um diretor de marketing. Coloque o produto em primeiro plano, encaixe uma interação engraçadinha e, pronto: hora de pensar no fim de semana. Difícil mesmo é criar uma campanha com a qual o consumidor se identifique a ponto de mudar o seu comportamento. Algo que mexa com ele. Só para exemplificar, estive em Cannes esse ano e acho que os hermanos argentinos têm feito isso muito bem na TV. Enquanto nós vendemos produtos, eles vendem boas histórias. Nós fazemos dinheiro e, eles, marcas.

7. Respeite prazos e verbas, sempre que possível

Atividade nenhuma prospera sem equilíbrio. Um músico, por exemplo. Se o cara só faz rock and roll, é careta. Se só faz sexo, é tarado. Se só usa drogas, é junkie. Se ele faz as três coisas, é um “rockstar”. No caso de um webstar, o trinômio sexo, drogas & rock and roll muda para custo, prazo & qualidade criativa. A imagem de um bom trabalho é um triângulo perfeito. Se algum desses vértices falhar, a coisa entorta. A banda desafina. E o cliente decide fazer seu show em outra casa.

8. Fique atento a novas tecnologias

Acredite, o mundo é dos nerds. Enquanto você perde seu tempo com esse texto, os inventores do Google escolhem um iate novo. Preste atenção em cada novo aplicativo, interação ou linguagem. Essa é a grande vantagem do nosso meio. Podemos casar novas tecnologias com conceitos bacanas para nossos clientes, fazendo a marca sair na frente de todo mundo. Seja um profissional “versão beta”, sempre aberto a melhorias e inovações.

9. Menos é mais

Na hora da execução, esqueça os efeitos, animações e firulas. Não deixe nada entre o consumidor e a idéia. Apenas passe seu conceito da maneira mais forte e clara possível (exceção apenas para os casos raros em que as firulas representam a idéia em si).
Parafraseando Pascal, desculpem-me por esse texto tão longo. Tivesse eu mais tempo, ele teria sido muito menor.

10. Item eliminado em função do item anterior

10 de abril de 2009 Posted by | Blospot, como usar, dica, dicas, internet, Marketing, Marketing pessoal | Deixe um comentário

A construção da estátua do Cristo do Redentor no morro do Corcovado

Conheça a hístória da construção da estátua do Cristo do Redentor.
Uma das sete maravilhas do mundo.


Séc. XVI Os portugueses dão ao morro o nome de Pináculo (ou Pico) da Tentação, em alusão a um monte bíblico.

Séc. XVII O morro é rebatizado como Corcovado, nome derivado de sua forma, que lembra uma corcova ou corcunda.

1824 D. Pedro I lidera pessoalmente a primeira expedição oficial ao Corcovado, que resulta na abertura de um caminho de acesso ao cume.

1859 Ao chegar ao Rio de Janeiro, o padre lazarista Pedro Maria Boss encanta-se com a beleza do Corcovado e sugere à princesa Isabel a edificação de um monumento religioso no local.

1882 D. Pedro II concede aos engenheiros João Teixeira Soares e Francisco Pereira Passos a permissão para construírem e explorarem a Estrada de Ferro do Corcovado.

1884 É inaugurado o trecho entre o Cosme Velho e as Paineiras da Estrada de Ferro do Corcovado, com a presença da família imperial. Na mesma ocasião, inaugura-se o Hotel das Paineiras.

1885 É inaugurado o trecho entre as Paineiras e o Corcovado, completando assim a extensão total da Estrada de Ferro, com 3.800 metros.

Início da década de 1910 A companhia The Rio de Janeiro Tramway, Light and Power – conhecida como Light – concessionária da Estrada de Ferro do Corcovado desde 1906, transforma-a na primeira ferrovia do Brasil a ser eletrificada.

1921 A idéia da construção do monumento ao Cristo Redentor surge para marcar a comemoração do Centenário da Independência do Brasil no ano seguinte. Reúne-se no Círculo Católico a primeira assembléia destinada a discutir o projeto e o local para a edificação do monumento. Disputam o Corcovado, o Pão de Açúcar e o Morro de Santo Antônio. Vence a opção pelo Corcovado, o maior dos pedestais.

1922 Um abaixo-assinado com mais de 20 mil nomes solicita ao presidente Epitácio Pessoa permissão para a edificação da estátua. A pedra fundamental da construção do monumento no morro do Corcovado é lançada no dia 4 de abril de 1922.

1923 É realizado o concurso de projetos para a construção do monumento ao Cristo Redentor. O projeto escolhido é o do engenheiro Heitor da Silva Costa. Em setembro é organizada a Semana do Monumento, uma campanha nacional para arrecadação de fundos para as obras.

1926 São iniciadas as obras de edificação do monumento.

1931 A estátua do Cristo Redentor é inaugurada no dia 12 de outubro. O desenho final do monumento é de autoria do artista plástico Carlos Oswald e a execução da escultura é responsabilidade do estatuário francês Paul Landowski. O monumento ao Cristo Redentor no morro do Corcovado torna-se a maior escultura art déco do mundo. O evento de inauguração tem a presença do cardeal dom Sebastião Leme, do chefe do Governo Provisório, Getúlio Vargas, e de todo o seu ministério.
Por iniciativa do jornalista Assis Chateaubriand, o cientista italiano Guglielmo Marconi foi convidado a inaugurar a iluminação do monumento, a partir de seu iate Electra, fundeado na baía de Nápoles. Emitido do iate, o sinal elétrico seria captado por uma estação receptora instalada em Dorchester, na Inglaterra, e retransmitido para uma antena em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, de onde seriam acesas as luzes do Corcovado. No entanto, o mau tempo no dia prejudicou a transmissão e o monumento foi iluminado diretamente do Rio de Janeiro.
Em 21 de outubro, sob a orientação do cardeal dom Sebastião Leme, foi criada a Ordem Arquidiocesana do Cristo Redentor, em substituição à Comissão Organizadora do Monumento, tendo por objetivo administrá-lo e conservá-lo.

1932 Por iniciativa do jornal O Globo, a iluminação definitiva substitui o sistema de luz provisório instalado desde a inauguração.

1934 A União transfere o domínio da área de 477m2 situada no alto do Corcovado à Ordem Arquidiocesana do Cristo Redentor.

1960 Por decreto do então cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, dom Jaime de Barros, a Ordem Arquidiocesana do Cristo Redentor é extinta e substituída pela Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro.

1973 O monumento do Cristo Redentor é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN).

1980 Recuperação do monumento por ocasião da visita do papa João Paulo II.

1990 O monumento do Cristo Redentor é tombado pelo município do Rio de Janeiro. Um convênio entre a Rede Globo de Televisão, a Shell do Brasil, a Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro, o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN) e a Prefeitura do Rio de Janeiro promove uma ampla reforma no monumento. O Ibama assume as atividades de vigilância, limpeza e conservação da estátua e seu entorno. O direito de uso da imagem do Cristo Redentor mantém-se sob a exclusividade da Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro.

2000 É iniciado o Projeto Cristo Redentor, com as seguintes ações: recuperação do monumento, com a instalação de proteção catódica, nova iluminação, criação de sinalização histórica e turística, uma parceria entre a Fundação Roberto Marinho, Banco Real ABN AMRO Bank, Ibama, Arquidiocese e Prefeitura da Cidade.

2001 A Gerdau S.A integrou-se ao Projeto Cristo Redentor para as obras de ampliação da plataforma do trem, melhoria de infra-estrutura e implantação de elevadores, passarelas metálicas e escadas rolantes.

2002 Durante este ano foram realizadas as principais etapas das obras civis do Projeto.

2003 Com a conclusão das obras do projeto, o acesso ao mirante é facilitado, contribuindo para aumentar o número de visitantes a este importante ponto turístico da cidade.

Conheça o Cristo Redentor com a “Brasil Turismo Carioca

2 de abril de 2009 Posted by | Brasil e Portugal, dica, dicas, Marketing, Turismo | Deixe um comentário

Organize seu tempo e seu blog

Muitos blogueiros vive se lamentando que nunca tem tempo para atualizar seus blogs. Porém, há aqueles que mesmo quando reservam um tempo para isso percebem que “passaram o dia todo na frente do computador, mas não fizeram nada de produtivo”.

Se você também sofre com esse problema que prejudica o andamento de seu blog e deseja aproveitar melhor seu tempo, confira as dicas abaixo:

  • Escreva mais de um post por vez;
  • Reserve um horário específico para moderar os comentários, ver estatísticas etc.;
  • Automatize coisas que precisam ser atualizadas frequentemente;
  • Esboce a estrutura de seus posts antes de começar a escrevê-los. Estipule o assunto, o tamanho do texto etc.;
  • Feche o MSN, avisos de novos e-mails e todos os programas desse tipo enquanto estiver escrevendo;
  • Se você se distrai facilmente, experimente digitar num lugar mais tranquilo;
  • É impossível estar no topo de todos os rankings e diretórios. Selecione as principais comunidades das quais você quer participar;
  • Não exagere quando estiver produzindo um novo post. Se você se importa com o tempo, seja direto e conciso;
  • Mantenha uma lista diária de objetivos realistas. Quando não planejamos, perdemos nosso tempo tentando descobrir o que fazer;
  • Comece pela coisa mais difícil da sua lista de tarefas para ficar progressivamente motivado;
  • Faça uma lista de metas para uma semana ou mês específicos. Suas listas diárias de tarefas serão influenciadas por essas mais abrangentes;
  • Por mais tentador que seja ler todos aqueles blogs interessantes que você salvou, não deixe isso ocupar muito do seu tempo;
  • Deixe tudo de lado estiver num momento difícil e não conseguir se concentrar;
  • Se você tiver a impressão que não vale a pena lapidar a pedra, jogue-a fora e procure outra;
  • Se você procura imagens para seus posts, use uma busca de conteúdo com licença Creative Commons. Economiza seu tempo e garante seu direito para usá-las;
  • Não se deixe levar pela idéia de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Você perderá o foco de ambas as tarefas;
  • Faça o que precisa fazer, e não o que é divertido;
  • Reveja frequentemente os resultados do andamento das suas atividades. Se algo não produz o efeito desejado, é melhor removê-lo da sua lista;
  • Se você teve uma ideia excelente para um texto, anote-a num lugar visível e olhe a nota esporadicamente. Isso lhe trará mais inspiração para trabalhar a ideia;
  • 1 de abril de 2009 Posted by | Blospot, dica, dicas, Marketing, Marketing pessoal | Deixe um comentário

    Aonde você quer chegar? Estabeleça objetivos.

    Desenvolva este hábito, para sua empresa e sua vida pessoal. Por mais distante que pareça um objetivo, é possível chegar lá a partir de planejamento e passos firmes. Alguns programas podem ajudar também.

    As tarefas começadas a contento têm grandes possibilidades de terminarem bem. Sophocles (496–406 AC)
    Dizem que o Brasil fecha no Natal e só abre depois do carnaval. E que na Bahia dura ainda mais um mês. Outros acham que este ano já começou e não estão pra perder tempo. O que eles estão fazendo?
    O que as grandes empresas e as empresas de sucesso estão fazendo neste exato momento em que se inicia o ano de 2004, e em todos os anos, por sinal?
    Ganhou um doce se respondeu: seções de planejamento estratégico.

    A importância do planejamento

    Isso acontece todo ano, nesta época, nas empresas que almejam ter algum sucesso durante o período.
    Meses atrás escrevi um artigo sobre este assunto, chamado Um planejamento estratégico minimalista (veja ao lado).
    Em resumo, podemos definir Planejamento Estratégico (PE) como a arte de estabelecer objetivos e os meios de atingi–los. No presente artigo, vou me concentrar no passo inicial de qualquer plano de ação: estabelecer objetivos.
    Desenvolver o hábito de estabelecer objetivos em base regular, para sua empresa e mesmo para a sua vida pessoal, é uma das principais atitudes que permite alcançá–los e pertence a pessoas de sucesso, nos diversos ramos das relações humanas.

    Diferença entre objetivos e metas

    Pode parecer simples, óbvio até, mas a verdade é que a maior parte das pessoas confunde objetivos e metas, que dirá, definir objetivos concretos e alcançáveis.
    Quantas pessoas que você conhece costumam dizer o quanto se sentem perdidas? Pergunte a elas se já pensaram em definir um objetivo para suas vidas?
    Em alguns dicionários, as duas palavras têm o mesmo significado e a rigor, têm mesmo, mas você vai entender a diferença que estabeleço entre as duas em um instante.
    Para um bom planejamento, é de grande importância diferenciar uma coisa da outra. Considere OBJETIVO como o resultado mais importante que você quer alcançar e METAS como os resultados intermediários que você precisa atingir para alcançar o objetivo final.
    Em outras palavras, você define um objetivo, que pode ser algo mais ou menos complexo, como sendo o norte do plano. Em seguida, você o quebra em metas mais fáceis de atingir. Diz o bom senso que atingindo as metas, uma a uma, ao final terá alcançado o objetivo.

    Qual o seu objetivo?

    Qual o seu objetivo ao fazer negócios na internet? Talvez você diga: “ganhar dinheiro”, mas isso não é um objetivo e sim uma meta. Afinal, você quer fazer dinheiro PARA alguma coisa e não apenas pelo gosto do dinheiro (prefiro acreditar que o leitor não seja tão mesquinho assim).
    Digamos então que o seu objetivo seja comprar uma casa nova. A casa tem um valor, sei lá, 50 mil reais está bom para você?
    Em quanto tempo você pretende adquirir esta casa? Que tal um plano para pagá–la em um ano apenas?
    Agora temos um objetivo concreto estabelecido: Comprar uma casa no valor de 50 mil reais em um ano.
    Agora você já sabe o que é estabelecer um objetivo concreto. Vamos entender as metas.
    Pegue o objetivo definido no exemplo e pense nos passos que terá de dar para alcançá–lo:
    1. Encontrar uma casa de aparência e no local de sua escolha no valor de R$ 50.000,00.
    2. Definir um plano para obter a receita (50 mil reais) em 12 meses, mantendo ou elevando o seu padrão de vida neste meio tempo.
    3. Isso significa bolar uma forma de faturar R$ 4.200,00 a mais por mês.
    E por aí vai. Como vê, você terá de estabelecer planos para atingir cada uma dessas metas.

    Estabelecendo objetivos

    As dicas a seguir, de James Manktelow, do site MindTools.com, vão ajudar a definir seus objetivos:
    Defina cada objetivo e meta de forma positiva. Dizer “Executar bem esta técnica” é melhor do que dizer “Não cometer este erro tolo”.
    Seja preciso. Defina um objetivo preciso, pondo datas, tempos e montantes para que você possa medir os resultados.
    Estabeleça prioridades. Quando você tem diversas metas, dê a cada uma a sua prioridade. Isso ajuda a focar no que interessa e assim você não perde tempo com coisas sem importância.
    Escreva seus objetivos. Isso concretiza suas metas e lhes dá mais força.
    Mantenha as metas do dia–a–dia pequenas. Parece que as metas complicadas nunca são alcançadas. Mantendo–as pequenas é mais fácil e rápido alcançá–las. Derive suas metas de hoje a partir de metas maiores.
    Estabeleça metas de performance e não de resultados. Existem coisas fora do seu controle que podem dificultar determinados resultados de acontecer. Com metas de performance, onde você procura melhorar, há mais controle de seu alcance e muito mais satisfação.
    Estabeleça metas realísticas. É importante definir metas que você possa alcançar. Evite iludir–se com planos grandiosos e planos impostos de fora. Você é quem sabe o seu ritmo.
    Não estabeleça metas muito pequenas. Tão importante quanto não se impor objetivos grandes demais, é não torná–los pequenos demais. As pessoas tendem a fazer isso quando estão com medo ou preguiça e ficam estagnadas. Suas metas devem estar ligeiramente acima de seu patamar atual, mas que você acredite que possa alcançá–los.
    Estabeleça metas que acredita poder atingir. A sua crença em poder realizar algo sempre será o primeiro passo para fazê–lo.
    Se não for suficiente e você ainda precisa de uma mãozinha da tecnologia, aqui vão dois programas (em inglês) que podem ajudar com este tema. São eles: GoalMaker e ProgressPlanner.

    Não importa se você está lendo este artigo em outro mês que não o de janeiro. Sem uma estratégia é muito difícil progredir, portanto, se não tem nenhum plano, nenhum objetivo concreto, está na hora de parar e se preparar.
    E o mais importante: depois de ter seus objetivos e planos prontos, parta para ação.

    24 de março de 2009 Posted by | dica, dicas, Marketing, Marketing pessoal | Deixe um comentário